domingo, 4 de novembro de 2007

Uma noite de primavera



Era uma noite linda de outubro.

ELA viajara à terra do sol para um evento importante. ELE era parte do evento. Mas os dois nunca imaginariam o que estava prestes a acontecer. ELA o viu e, imediatamente, ficou fascinada; mas ELE parecia inatingível. ELA aproximou-se, cumprimentou-o pelo bom desempenho e ELE num ar de simpatia, queria lhe dar um cartão, mas não o tinha naquele momento e prometeu entregá-lo mais tarde.

Bem mais tarde, ELA chega na festa e o encontra lindo como um príncipe que desperta todos os desejos... Mas logo pensa que, ele não irá percebê-la. Modéstia sua. ELA também está linda e despertava vários olhares. ELE a percebe, cumprimenta-a, vai até sua mesa e puxa um papo. ELA nem acredita! Começa a química a funcionar como um ímã e eles marcam um encontro. ELE não cansa de admirá-la e dizer como ela é linda. Como pode alguém reunir tantas qualidades? Ele repete inúmeras vezes.

Saem juntos e, de repente, estão a sós. É uma boate movimentada, cheia de gente bonita, muita música... mas eles se sentem sós. É uma paixão que os arrebata como um vento forte que chega e tudo arrasa. ELE a convida para seu hotel, ELA recusa. Se conhecem a poucas horas... Mas, dentro de cada um, é como se conhecessem de uma vida inteira.

No calor da paixão, ELA acaba cedendo e entrega-se a ELE de corpo e alma. Uma varanda de frente para o mar, o cheiro da brisa, no melhor hotel daquela paradisíaca cidade, ao som de Jack Johnson, tudo parecia ensaiado. ELE a tratava como uma princesa. Tudo foi perfeito em cada detalhe. Corpos se desejavam e num arroubo de amor, deleitavam-se de prazer naquele momento mágico.

O sol ameaça a despontar e ELA quer ir embora. ELE não quer deixar. Aliás, ambos não querem que o sonho acabe. Sentem-se parte um do outro. Para ELE, a mulher mais especial que já conhecera; para ELA, o príncipe que esperava há muito tempo. Se encontraram, se amaram... e, agora, teriam que se separar. ELA toma a iniciativa.

- Tenho que ir!

- Por favor, não vá! Fique!

- Eu não posso. Preciso ir embora. (Sé ELA sabe o quanto lhe doera dizer aquilo)

ELE a acompanha até o táxi, a beija e sussurra em seu ouvido:

- Eu te amo!

ELA sabe que, naquela hora, são sentimentos verdadeiros e responde:

- Eu jamais esquecerei você!

Separaram-se deixando, cada um, um pedaço do próprio coração naquele lugar...

13 comentários:

  1. aiii q romanticoo!!
    coisas assim sao tao raras de acontecer, mas quando acontecem da um baita aperto no coracaoo..

    ResponderExcluir
  2. Oi amigaaa
    tb te adoro demais

    tu me achou aonde? blogsfera?
    o que é isso?
    ehehehehehe

    Bjokas amiga queridaaaaaaaaa

    Lu

    ResponderExcluir
  3. Lindo demais, perfeito demais...Eu diria que é uma utopia, se não estivesse vivendo exatamente isso que vc descreveu com maestria nas tuas palavras...

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi,Adriana
    Achei seu Blog linkado na Allêe e vim conferir..Parabéns!gostei muito!
    Vou voltar,sem dúvida!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Ai amiga...
    não canso de elogiar você por isso que aconteceu...
    A gente pode ter medo de qualquer coisa nessa vida, menos de ser feliz!

    bjs, lhe adoro demais!

    ResponderExcluir
  6. eu senti meu coração fractal gora.....

    beijo!

    ResponderExcluir
  7. Nossa, muito bom...
    é o tipo de coisa que raramente acontece... mas só de pensar já causa uma sensação de paz interior...
    muito legal o texto...
    parabéns
    até mais...

    ResponderExcluir
  8. Nossa... Que lindo!!!

    E ela naum podia voltar? Ou ele?
    Elas não podiam se ver novamente???

    Hein? Hein?

    Diz que siiiim!
    =~~~


    Beijooos!

    ResponderExcluir
  9. Paixões arrebatadoras assim são deliciosas de serem vividas...

    Amei o blog... Visitarei mais vezes...
    Bjo!!!

    ResponderExcluir
  10. Nossa fiquei até arrepiada!
    Q conto bom!
    Bjokas
    Bom fim de semana

    ResponderExcluir
  11. Gostei dos versos, dos textos em prosa, das historinhas, do diário pessoal, enfim, viva a diversidade!
    Tenha a melhor das semanas!

    ResponderExcluir

Fale quando tuas palavras forem tão doces quanto o silêncio!